Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Uma Noite para se Render (Spindle Cove, #1)

Em vez de uma casa que é um refúgio para mulheres desta vez temos uma aldeia em que toda ela é um refúgio para mulheres. No próximo espero encontrar num mínimo, um país! 

 

Spindle Cove é uma aldeia perdida para onde jovens mulheres são enviadas por terem sido ou inconvenientes, ou doentes, ou alvo de escândalo, pois é uma zona com muitos poucos homens. Susanna Finch é uma espécie de líder da comunidade e quer ajudar todas estas mulheres a recuperarem a sua auto estima livres dos grilhões da sociedade da época. Bramwell é um tenente-coronel que sofreu um ferimento e para voltar à guerra tem de formar uma melicia perto de Spindle Cove. As tentativas de encontrar homens numa zona tão "feminina" são frustrantes e acaba por se instalar uma pequena guerrilha entre ele e Susanna.

 

Ao inicio custou muito entrar no livro. Achei a narrativa perdida e pouco cativante, mas lá a mais de meio a coisa torna-se interessante, toda a questão de homens versus mulheres ganha outra dimensão e começo a sentir um carinho pela história, apesar dos protagonistas não serem nada de especial todas as outras personagens acabam por trazer algum brilho e algumas gargalhadas. Mas estive mais que uma vez tentada a desistir deste aqui, penso que a autora já escreveu livros melhores.

 

Classificação: Ficheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:04

10 Segredos para Ser Seduzida por um Lorde  (Love By Numbers, #2)

Quando li a sinopse deste aqui pensei...onde eu já vi isto: senhoras criam refugio para fugir de passados trágicos... pois, numa série da Madeline Hunter, conhecida por Wallflowers. Há algumas nuances claro, esta versão é mais "ilegal" e mais perigosa para elas.

 

Isabel é filha de um conde que gastou todo o dinheiro no jogo e concedeu a sua mão em diversos jogos de azar. Por sorte, ela conseguiu expulsar sempre os seus "noivos". Com a morte do pai, ela fica com um irmão conde de apenas dez anos e uma casa cheia de mulheres escondidas que se disfarçam de homens. Nicholas é eleito por uma revista um dos solteiros mais elegíveis. Quando uma amigo lhe pede para encontrar a irmã que desapareceu ele aproveita a oportunidade para sair de Londres e das mulheres que se atiram a seus pés. A pista leva-o até Isabel e os dois acabam por se envolver num jogo perigoso que pode denunciar e destruir o segredo de Isabel.

 

Dito isto tudo, a história é fofinha, um pouco parecida com outras como mencionei no inicio, embora a parte de ter um mordomo, um jardineiro, um cavalariço em que todos são mulheres disfarçados dá uma dinâmica mais divertida a história. O casal principal é ok, não senti nenhuma empatia especial, mas também não foram desagradáveis. A história não tem o melhor ritmo do mundo, mas quando se está doente e não se pode sair de casa, acaba por ir andando e para o final fica mais interessante.

 

Classificação: Ficheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:50

 A Indomável Miss Bridgerton (Rokesbys, #1)

Para fazer a ponte entre uma das suas mais queridas séries literárias e uma mais recente, Julia Quinn decidiu recuar no passado e contar a história de Billie que seria tia dos Brigertons da série original.

 

A família de Billie sempre se deu tão bem com os vizinhos, os Rokesby que eles praticamente se consideram uma só família. E apesar de ter vivido aventuras incríveis com Edward, Andrew e Mary, sempre teve discussões incríveis com George, o mais velho, que por ser o herdeiro cedo aprendeu que vive num mundo à parte. Já adultos, Billie lida com o facto de ser uma herdeira com o género errado e George com a frustração de não poder ser militar como os irmãos. Quando se juntam, discutam, até que um dia se beijam e afinal as coisas mudam.

 

Este livro tem aquele sentido de humor perverso que a autora já nos habituou, com cenas cómicas, outras comoventes mas uma história fofa. Não é tão bom como a série original, mas não deixa de arrancar uns sorrisos e umas lágrimas e consegue manter vivo aquele espírito familiar que tornou a autora famosa. Gostei da Billie e gostei do George (eu e a crush por personagens mais sérios), acho que fazem um casal que se equilibra muito bem por serem tão diferentes mas ao mesmo tempo iguais. Pelo contrário o Andrew irritou-me um bocadinho.

 

Classificação: Ficheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32

The Bourbon Kings (The Bourbon Kings, #1)

Ás vezes as histórias sobre dinastias familiares são interessante e cheias de "roupa suja". Outras vezes simplesmente não me cativam. Este aqui pertence aos segundos. Acompanha a saga de uma família despedaçada, dona de um império de bourbon. Lane, o rico tem uma relação com a jardineira, Lizzie, que não acaba bem (ele acaba casado com outra). Alguns anos depois voltam a reencontra-se. Ao mesmo tempo acompanha também os dramas da família de Lane.

 

A história é plana, sem uma escrita apelativa e com personagens sem densidade. Não senti qualquer química entre os protagonistas, irritam-me protagonistas riquinhos que preferem fugir dos problemas e por volta do capitulo treze achei que tinha melhores coisas para fazer com o meu tempo. E é isto.

 

Classificação: Ficheiro:Star Ouro.svg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:31

Crazy Rich Asians (Crazy Rich Asians, #1)

Eu não conheço ninguém de origem asiática, mas conheço alguns clichés culturais a eles associados: a obsessão com as boas notas, a carreira profissional e o dinheiro. Crazy Rich Asians acompanha várias personagens da mesma família, ricas, em que umas exibem a riqueza e outras são forretas. No meio disto tudo está Rachel, uma chinesa/americana que vai com o namorado, Nicholas, conhecer a família dele. O que ela não sabia é que a família e os amigos dele vivem num meio opulente e são todos completamente doidos e que ela está abaixo do nível deles.

 

Este livro é qualquer coisa. A família de Nicholas é enorme e confesso que mesmo no final do livro ainda não sabia bem quem era filho de quem. Ao mesmo tempo em que assistimos a uma parada de roupa e carros de luxo, tentativas de se ser famoso e o casamento do ano, percebemos também porque Nicholas vive nos EUA e nunca falou à namorada da família. Rachel é uma mulher moderna que ao inicio se deslumbra, mas depressa percebe que não a querem lá, em vez de se deixar levar pelo tão comum nestes livros de "ele é rico, vamos fazer coisas de ricos e viver felizes para sempre". Astrid também foi uma personagem que gostei de conhecer e parece que tem uma história interessante para contar. Ela é prima de Nicholas e considerada bonita e com muito estilo. Mas algo se passa no seu casamento.

 

No fim deste livro ri-me muito, mas ao mesmo tempo também fiquei chocada com os clichés. Gostei da Rachel e do Nicholas e queria saber para onde vai a história deles a seguir. Talvez um dia leia a continuação.

 

Classificação: Ficheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svgFicheiro:Star Ouro.svg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:29



Disclaimer

Todas as imagens de livros publicadas são retiradas do site das editoras ou dos próprios autores. A imagem de fundo pode ser encontrada aqui.

Classificação

Nem consegui terminar
Não gostei
Ok
Bom
Amei

Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


subscrever feeds


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.